.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006

Walk the line 

You've got a way to keep me on your side
You give me cause for love that I can't hide
For you I know I'd even try to turn the tide
Because you're mine,
I walk the line.

... E, de repente, já não é o Joaquin Phoenix na pele de um Johnny Cash desesperado por agradar ao pai, à mulher que ama, aos filhos, à esposa ou às fãs, que ali está; a sala de cinema deixa de o ser e fico só eu e uma pergunta quase tão desesperada como o Johnny que deixei no ecrã: a que distância da nossa linha nos deixam as linhas que temos de caminhar para nos sentirmos "pessoas na linha"? A resposta não tarda, em jeito de versão remix da letra original, dedicada a todos aqueles que quero como "meus": "Because you're mine I don't walk my line".
Sei que o desabafo quase parece um trecho de quiromancia... mas não é mais do que um dos sintomas de que ando virada para dentro.

De todo o modo, não se deixem impressionar: não percam Walk the Line, porque, enquanto o ecrã lá está, é sem dúvida mais um dos filmes geniais que esta temporada nos oferece.

Comentários:
esta coisa dos posts sobre cinema é complicada. É que eu não tenho muito tempo para isso e depois fico a anhar!Seja lá o que isso for.lol

Boa noite.
 
Enviar um comentário


Links to this post:

Criar uma hiperligação

Somos altos, baixos, magros, gordinhos, extrovertidos, introvertidos, religiosos, ateus, conservadores, liberais, ricos, pobres, famosos, comuns, brancos, negros... Só uma diferença : amamos pessoas do mesmo sexo. Campanha Digital contra o Preconceito a Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros. O Respeito ao Próximo em Primeiro Lugar. Copyright: v.


      
Marriage is love.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

referer referrer referers referrers http_referer