.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>

sábado, 10 de julho de 2004

Horas infinitas... 

Queria escrever um post simultaneamente original, interessante e inteligente sobre um qualquer assunto da actualidade... sobre um pensamento que me invadiu, sobre uma nota que surgiu; comentar as não-eleições, as indigitações, as desistências, as partidas, as mortes, as físicas e as outras, que se têm vivido no país... Ou então, queria dar mais voz à nossa causa, falar da nossa realidade LGBT e contribuir com mais umas linhas para a sua visibilidade... falar talvez das lutas que ainda faltam travar, dos espaços que ainda faltam conquistar ou, por exemplo, das amizades que, a um casal como nós, tão díficeis são de achar...
Mas hoje um egoísmo atroz invadiu-me as horas, aliado à sensação de tristeza/depressão/solidão de quem se vê, de repente, esvaziada de sentido, por ter que ser assim obrigatoriamente arrancada de metade de si, e por isso, as únicas palavras que consigo deixar aqui são aquelas que parecem ter sido encomendadas por mim à Adriana.

Perdoem-me os originais, interessantes e inteligentes, o post meio "cafona", mas ser lésbica também é isto: sentir que as horas são infinitas quando estamos longe da mulher que nos completa a existência: so, to you, my dear Mind, aqui fica a letra da música que tenho andado a tentar trautear-te:


Fico Assim Sem Você
Letra e Música: Claudinho e Buchecha
Álbum: Adriana Partimpim - Adriana Calcanhotto


Avião sem asa, fogueira sem brasa
Sou eu assim sem você
Futebol sem bola, Piu-Piu sem Frajola
Sou eu assim sem você

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil alto-falantes
Vão poder falar por mim

Amor sem beijinho,
Buchecha sem Claudinho
Sou eu assim sem você
Circo sem palhaço, namoro sem amaço
Sou eu assim sem você

To louca pra te ver chegar
To louca pra te ter nas mãos
Deitar no teu abraço, retomar o pedaço
Que falta no meu coração

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo


Porquê, porquê?!!

Neném sem chupeta, Romeu sem Julieta
Sou eu assim sem você
Carro sem estrada, queijo sem goiabada
Sou eu assim sem você

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil alto-falantes vão poder falar por mim

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo
Porquê?

Comentários: Enviar um comentário


Links to this post:

Criar uma hiperligação

Somos altos, baixos, magros, gordinhos, extrovertidos, introvertidos, religiosos, ateus, conservadores, liberais, ricos, pobres, famosos, comuns, brancos, negros... Só uma diferença : amamos pessoas do mesmo sexo. Campanha Digital contra o Preconceito a Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros. O Respeito ao Próximo em Primeiro Lugar. Copyright: v.


      
Marriage is love.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

referer referrer referers referrers http_referer