.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>

sábado, 19 de agosto de 2006

Rudebox 

As tardes de sábado podem ser verdadeiramente reveladoras, especialmente se tivermos um monte de coisas para fazer e tivermos uma espécie de necessidade intrínseca de... não as fazermos. É mais ou menos assim que me sinto presentemente, com a secretária a abarrotar de papéis e a pensar, sempre que olho para eles: «Que diabo! Agosto é um mês de férias! Há quanto tempo é que eu não tenho férias-férias? Férias a sério, férias a valer, que sejam sinónimo de não pensar em nada, nada, nada, sinónimo de não estar a olhar para o calendário ou para o relógio a pensar que em breve terei de regressar à rotina e ao trabalho, aos trabalhos?»
A verdade é que já não tenho férias há muito tempo (se é que alguma vez as tive) e, pior do que isso, também não tenho perspectivas de as ter nos tempos mais próximos (que é como quem diz... anos, temo). O que eu precisava, a sério, era de umas férias de mim, pois a única forma de esquecer tudo o que me atulha a cabeça seria, talvez, deixar de ser quem sou e acordar um dia de manhã sendo qualquer outra pessoa - não importa quem, desde que essa pessoa tivesse a capacidade que eu não tenho e quase invejo de esquecer totalmente os problemas e os afazeres durante quinze ou vinte dias.
Estava eu nestes delírios, negando entusiástica e mentalmente o trabalho que se acumula nesta mesa de onde escrevo quando me invade a televisão o último videoclip do Robbie Williams que tem por título, tal como este post, Rudebox. É verdade: a minha necessidade de arranjar desculpas para não trabalhar é tanta que dou por mim a ver o Top + no início de uma tarde de sábado de Agosto! Bom, mas a questão essencial deste post não é tanto esta minha capacidade de divagação/negação mas sim o tal dito último videoclip do Robbie.
Eu confesso aqui, abertamente, que até nem tenho nada contra a chamada "música FM", ou seja, aquela que frequentemente passa nas rádios de maior audiência em Portugal. Convivo bem com grandes estopadas de música anglo-saxónica (agora, graças à nova Lei da Rádio, entrecortadas por música portuguesa igualmente "FM") e não nego que até sei a letra de algumas delas e, vejam bem, de vez em quando até abro a goela no meio do trânsito para dar voz a algumas delas!
Claro que tudo tem os seus limites e há coisas que eu me recuso a ouvir, como sucederá com esta nova música do Robbie Williams. É que, senhor@s, o moço decidiu enveredar por um registo mais RAP, mas RAP daquele que nem é RAP nem é pop, é uma mistura qualquer de mau-senso e mau-gosto. Eu, que até gostava de algumas músicas do rapaz e que até cantarolava a versão dele e da Nicole Kidman de Something Stupid, assumo aqui que fiquei literalmente chocada com o mau gosto da música em si e do videoclip e que, por isso - ó motivo fútil! - me vejo forçada a não ouvir Robbie Williams durante uns tempitos!

Robbie, és um pãããããão!

Se ainda não conheceis a pérola de que falo, espreitai aqui e vede-o. Mas agora vem a parte mais importante da coisa. Custa a acredita, eu sei, eu própria levei alguns minutos até cair em mim, mas é mesmo verdade...
Minhas amigas e meus amigos: então não é que o Robbie resolveu pôr a malta toda que não tenha mais do que um dedo mínimo de testa a concorrer com a sua própria versão do videoclip? E não é que alojou esses vídeos caseiros desses desprovidos de cérebro num site especialmente criado para o efeito? É mesmo verdade! Verifiquem tudinho aqui! O nível da coisa é tal que somos todos tratados, logo à chegada, por you sexy little thing! Bem, eu sei que ele é o Robbie Williams e tal, mas «olha lá a confiança, ó morcão!» seria o que eu responderia se o tipo se dirigisse a mim nestes termos cara-a-cara... Aviso já @s mais desprevenid@s que o £§@%&+# da música começa a tocar quando clicamos na primeira página do site, não vão ficar quasi traumatizad@s como eu.
Isto, minhas e meus car@s, leva-me a questionar de onde vimos, onde estamos e para onde vamos se são estes desgraçados os próprios a ridicularizar-se publicamente desta maneira e, ainda por cima, patrocinados por uma figura como o Robbie, que neste videoclip, tem aspecto de canastrão trolha-das-obras-do-Metro, começando no brinco, passando à tatuagem no peito, continuando na camisola branca de alças e terminando no casaco de fato-de-treino da Adidas... Oh boy!

E questiono-me também onde será que eu própria irei parar se continuar a evitar encarar o trabalho que tenho pela frente. Por isso, a conversa está muito boa e muito ao nível da silly season, mas este post tem mesmo de ficar por aqui.
I'll be back with more silly matters...

:: Post Scriptum :: - Por falar em música, é tempo de mudar o disco ali na grafonola. Soa agora Gold in the air of summer, dos Kings Of Convenience. Gold in the air of summer, you'll shine like gold in the air of summer... ;)

Comentários: Enviar um comentário


Links to this post:

Criar uma hiperligação

Somos altos, baixos, magros, gordinhos, extrovertidos, introvertidos, religiosos, ateus, conservadores, liberais, ricos, pobres, famosos, comuns, brancos, negros... Só uma diferença : amamos pessoas do mesmo sexo. Campanha Digital contra o Preconceito a Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros. O Respeito ao Próximo em Primeiro Lugar. Copyright: v.


      
Marriage is love.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

referer referrer referers referrers http_referer