.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>

terça-feira, 14 de junho de 2005

2 tons novos na vizinhança 

O Assumidamente é mais um dos muitos apartamentos do condomínio. Há quem lhe chame Blogaysfera, mas eu prefiro chamar-lhe Bairro do Amor.
O Bairro do Amor foi sendo construído aos poucos, e os que cá andam foram-se instalando, movidos pelas "ondas de ternura em cada olhar" ou dispostos a "tratar das suas nódoas negras sentimentais". As casas foram sendo desenhadas "a lápis de cor", das cores das faixas de uma bandeira que a todos nos diz tanto...
Por aqui cada um pode "sorrir um pouco, descontrair um pouco", ou simplesmente falar da sua "solidão". Os "sorrisos de ternura em cada olhar" fazem-nos perceber que há sempre aqui alguém quem nos "compreende bem"...

Hoje damos as boas vindas a duas vizinhas novas, que prometem pintar a manta com 2 tons que ainda não tinhamos por cá. Estamos muito felizes por viverem aqui ao lado e... bom, por aqui "há sempre lugar para mais alguém".
Viver neste bairro, onde "o sol parece maior", é um privilégio. A vossa vida será, a partir daqui, "um carrossel". E estamos certas de que cá estaremos "no fim do verão".


Concerteza, já todos perceberam qual é a música que toca a partir de agora na grafonola das "Mentes". Ela é dedicada a todos os que vivem neste "nosso" Bairro do Amor.


Bairro do Amor
Letra e Música: Jorge Palma

No bairro do amor a vida é um carrossel
Onde há sempre lugar para mais alguém
O bairro do amor foi feito a lápis de côr
Por gente que sofreu por não ter ninguém

No bairro do amor o tempo morre devagar
Num cachimbo a rodar de mão em mão
No bairro do amor há quem pergunte a sorrir:
Será que ainda cá estamos no fim do Verão?

Eh, pá, deixa-me abrir contigoJorge Palma
Desabafar contigo
Falar-te da minha solidão
Ah, é bom sorrir um pouco
Descontrair-me um pouco
Eu sei que tu compreendes bem


No bairro do amor a vida corre sempre igual
De café em café, de bar em bar
No bairro do amor o Sol parece maior
E há ondas de ternura em cada olhar

O bairro do amor é uma zona marginal
Onde não há hotéis nem hospitais
No bairro do amor cada um tem que tratar
Das suas nódoas negras sentimentais

Eh, pá, deixa-me abrir contigo
Desabafar contigo
Falar-te da minha solidão
Ah, é bom sorrir um pouco
Descontrair-me um pouco
Eu sei que tu compreendes bem...

Comentários:
Curvas .... Rectas
Amor ........ Desamor
Longe .. Perto
Frio .............. Calor
Bruto .. Frágil
Seco ...... Molhado
Sorriso ........... Lágrimas
Egoísta .. Altruísta
Multidão ...... Solidão

...Sentir-teassimàminhavolta...
...Envoltanumabraçoapertadoquemesufocadearrepios....

...Assimpretonobranco...perder-medentrodeti...
...etransformar-menumarco-írisdetonsacinzentados...
 
Enviar um comentário


Links to this post:

Criar uma hiperligação

Somos altos, baixos, magros, gordinhos, extrovertidos, introvertidos, religiosos, ateus, conservadores, liberais, ricos, pobres, famosos, comuns, brancos, negros... Só uma diferença : amamos pessoas do mesmo sexo. Campanha Digital contra o Preconceito a Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros. O Respeito ao Próximo em Primeiro Lugar. Copyright: v.


      
Marriage is love.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

referer referrer referers referrers http_referer