.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>

quarta-feira, 22 de outubro de 2003

Conversa de café 


Hoje apetece-me escrever um post assumidamente pessoal!
Apetece-me falar sobre a vida do dia a dia com a mesma naturalidade com que o faria numa mesa de café, entre amigos e tostas mistas (ou meia torrada para as eternas devotas das dietas!).

Apetece-me falar sobre o meu dia de trabalho, tão esgotante quanto recompensante, porque "quem corre por gosto não cansa" e a cada dia que passa me apaixono mais por estas coisas da Justiça... E, a propósito disso apetecia-me abordar assuntos como o Segredo de Justiça (do qual discordo totalmente - um dia explicarei porquê), a Prisão Preventiva, todo o sistema judicial e mais a Casa Pia e tantos, tantos outros casos sobre os quais me apeteceria reflectir...

Apetece-me falar sobre "Dogville" o filme que anseio ver desde o dia da estreia, mas que, por manifesta falta de tempo ainda não pude ir espreitar... Por manifesta falta de tempo e porque a Mente Assumida está longe e já não faz sentido ir ao cinema sem ela... Não, sosseguem as mentes perversas, não é pelo "escuro do cinema", é mesmo porque poucas coisas na vida me sabem melhor do que sentarmo-nos numa mesa de café e discutirmos horas a fio as diferentes (porque são sempre diferentes!) perspectivas que temos do filme... e este promete, não fosse eu uma fã incondicional do von Trier... e ela nem por isso!

Apetece-me falar de livros... De todos os livros que ainda não li e que tenho obrigatoriamente que ler... Sempre fui uma devoradora de livros... ler, para mim, é algo de fí­sico: gosto do cheiro dos livros, gosto de sentir as páginas a deslizarem-nos pelos dedos ao ritmo da história e gosto das sensações que cada palavra, cada frase, cada linha, vão fazendo brotar em mim... Confesso que, fechado o livro, um ou dois meses depois ja não me lembro dos nomes das personagens, nem dos sítios... e só me lembrarei da história se realmente me tiver marcado particularmente... A Mente Assumida não é nada assim: absorve nos livros as lições que eles transmitem, vê em cada nova leitura um meio de enriquecimento intelectualizante... Talvez a maior parte das pessoas seja como ela...

Apetecia-me falar de um programa de rádio que me faz companhia em muitas horas de viagem e com o qual me divirto bastante: a "Prova Oral", passa na Antena 3 ao fim da tarde e tem sempre um tema de debate... não sei qual era o tema de debate de hoje - passei toda a viagem ao telefone com a Mente Assumida...

Também me apetecia falar sobre o facto de ter ficado preocupada com a Mente Assumida depois de ter desligado o telemóvel, porque hoje teve um dia difí­cil e os próximos não se afiguram mais fáceis... e aqui, à distância de quilómetros, é muito pouco o que posso fazer!

Apetecia-me ainda falar do calafrio no estômago que sinto sempre que, ao fim de dias como este, abro a porta de uma casa cada vez mais inóspita, onde as pessoas literalmente não se falam, com medo do que cada palavra possa trazer a reboque; onde tudo se sabe mas nada se diz... uma casa à qual apenas me prende a dependência financeira (maldito curso este que escolhi!)... e, confesso, um sentimento de afecto que me ficou provavelmente como reminiscência da infância!

É verdade, apetecia-me falar assim sobre a vida do dia-a-dia com a mesma naturalidade com que o faria numa mesa de café, entre amigos e tostas mistas (ou meia torrada para as eternas devotas das dietas!)... Mas agora reparo, se estivesse no café, entre os meus amigos hetero e as suas tostas mistas talvez não fosse muito prudente falar assim tanta vezes da Mente Assumida... Não é que eles não fossem "descomplexados" ao ponto de aceitar que eu, homossexual, me sentasse à mesma mesa que eles, mas, obviamente, teria que ser discreta... obviamente não poderia poluir o nosso café com a atmosfera gay que esta relação de vinte e nove meses transpira... Teria que ficar ali, sorridente, a ouvi-los falar das suas namoradas ou queridas esposas e das proezas dos seus filhos ou sobrinhos...
... Pois é, agora percebo porque é que deixei de ir tomar café com uma série de gente!

Agora me recordo também porque criámos este blog! Espero que quem nos lê goste destes intervalos para o café na nossa companhia!

Comentários: Enviar um comentário


Links to this post:

Criar uma hiperligação

Somos altos, baixos, magros, gordinhos, extrovertidos, introvertidos, religiosos, ateus, conservadores, liberais, ricos, pobres, famosos, comuns, brancos, negros... Só uma diferença : amamos pessoas do mesmo sexo. Campanha Digital contra o Preconceito a Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros. O Respeito ao Próximo em Primeiro Lugar. Copyright: v.


      
Marriage is love.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

referer referrer referers referrers http_referer