.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>

domingo, 3 de agosto de 2003

Assumidamente decidir! 


Assumir ou decidir? Decidir ou assumir?

Assumir sai de nós. É o que há cá dentro a querer saltar, a querer tornar-se público, de todos... O individual a tornar-se universal, ou pelo menos, universalmente reconhecido como nosso.
Assumir é um fogo que sai de repente, sem que tenhamos que pensar ou ponderar. Assumir é esponteneo, é dizer bem alto aquilo que não escolhemos mas simplesmente somos, porque nascemos assim, porque assim quis Deus moldar a nossa alma. Assumir é o autónomo reconhecimento de caracterí­sticas que nos são inatas e que heteronomamente nos foram impostas.

Decidir é o contrario. É ter que escolher entre as mil e uma hipóteses que a heteronomia do exterior nos impõe, é um constante optar, pensar e repensar, entre o bem e o mal, ou entre o bem e o menos bem, ou entre o bem e o bem, ou entre duas coisas totalmente péssimas mas sem que nos dêem a terceira hipótese que é a de não optar!

Assumi que sou lésbica há muitos anos. Quando a evidência das paixões assim o demonstrou. Quando se tornou inevitável ouvir o bater do coração bem forte pela Maria, pela Joana, pela Andreia, em oposição à sua indiferença pelo Manuel, pelo José, pelo André... Assumi-o de mim para comigo como uma evidência à  qual não poderia fugir, de que não me poderia esconder. Negá-lo seria negar-me a mim própria, negar-me na minha essência.

Todavia, nesse dia percebi também que nunca poderia assumi-lo! Nesse dia decidi que o mundo nunca me conheceria assumidamente. A escolha seria entre revelar a minha diferença e ser gozada, maltratada, excluí­da... e tantos outros adjectivos pejorativos que a imaginação cruel da sociedade consegue alimentar... ou continuar a viver duplamente, como sempre, saboreando as paixões internamente enquanto apreciava a forma como o mundo admirava aquilo que externamente escolhi ser.

Decidi ser decisão a cada passo. Pondero as palavras, os olhares, as atitudes... Tudo em mim é pensado, puro exercício de lógica o meu viver quotidiano... Tudo para que a essência não se revele e inopinadamente um pequeno gesto me denuncie e me obrigue a assumir!

Decisão difícil, pensarão!... Polémica, reconheço!
Mas como fugir à dificuldade quando a toda a hora nos impõe escolhas, decisões, opções, pequenos caminhos que determinam a nossa vida para sempre sem que antes nos ofereçam os dados todos com que vamos poder jogar? E pior, que outra poderia ser a decisão se esses dados estão viciados... rotulados à  partida?

Será polémica a minha decisão. Mas tenho-me dado menos mal com ela... Ainda que todas as noites ao deitar me pergunte se não seria mais feliz se em vez de decidir o meu futuro optasse antes por assumi-lo!...

Assumidamente optei por decidir a cada passo... Assumidamente fi-lo consciente do desejo de decidir assumir-me... Um dia destes!?...

Comentários: Enviar um comentário


Links to this post:

Criar uma hiperligação

Somos altos, baixos, magros, gordinhos, extrovertidos, introvertidos, religiosos, ateus, conservadores, liberais, ricos, pobres, famosos, comuns, brancos, negros... Só uma diferença : amamos pessoas do mesmo sexo. Campanha Digital contra o Preconceito a Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros. O Respeito ao Próximo em Primeiro Lugar. Copyright: v.


      
Marriage is love.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

referer referrer referers referrers http_referer